segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A Velha Estrada

Aquela velha estrada volta sempre a minha mente
a euforia daquele momento, inusitado e eloqüente
O tempo está correndo, mas dane-se
Eu não me lamento

Descarto o inútil, trago essa sensação
Bebo desse cálice de loucura
Piso oscilando por esse chão

O espírito de insanidade, veio pra ficar
Goste ou não, esse mundo vai parar de girar
Há algo de inexplicável
Existem coisas sem razão

Vou contigo pro inferno,
mas não vou pra lá em vão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário