terça-feira, 28 de abril de 2009

Baby

(Escrevi essa música sem querer, mas não é sem querer, o meu amor.)

Na madrugada, ando sozinho pelas ruas desertas
passos vacilantes não são a causa do meu desequilíbrio
(Baby, eu sei que você pode)
Viro a esquina, existem várias putinhas da zona sul
Na escuridão da mente insana
é sempre bom manter contato com a escória
(Baby, isso é tão perigoso)
Turbilhão de pensamentos, furacão de sensações
A droga já não consegue suprir a carência
Acendo meus cigarros, na esperança de nos iluminar
(Baby, eu sou capaz de tudo)
Meu império está em queda
A coroa treme, e as espadas decapitam
Não vá e me deixe, e por favor, não deixe-me cego
(Baby, eu te amo.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário