quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Batimentos

Os dias estão passando devagar
Enquanto meus batimentos aceleram
e o tempo vai se esgotando aos poucos
Oh querido, lembre-se dos momentos divinos
lembre-se que em meio às lágrimas você disse
"Eu te amo"
E agora, embora perturbado me concentro
e pergunto: Como você pôde ser tão leviano comigo?
Vou lhe dizer em breve
onde a verdade reside
Eu sou o centro do universo
e você é apenas a estrela que ainda brilha
Oh querido, por mais que você possa dizer "não"
e que cancele meu castelo de sonhos
Ainda me resta o consolo
De nunca ter te amado tanto quanto disse
E agora eu vou lhe dar algo assustador
Eu vou provar ao mundo que eu
não jogo minhas palavras ao vento.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Eu e Maysa

Estou só, frio e descrente. Receio que Deus não consiga me achar. Já faz algumas semanas que venho estudando em níveis excessivos, talvez, apenas mais uma forma de alienar-me de outros pensamentos que me rondam. Assim como à Augusto dos Anjos; ninguém assistiu ao enterro da minha última quimera. Por hora, agradeço por ainda estar respirando... após a explosão da bomba atômica que me foi presenteada. Saudade até que é bom, melhor do que caminhar sozinho, mas estou velho demais para me dar ao luxo de ficar perdido. Existe um projeto de vida, ah sim, ele resiste e persiste, apenas sob nova forma. Ora, Maysa tem me informado constantemente que meu mundo caiu, mas adoro sentar com ela numa mesa de bar; pedimos wisky, cigarro e expomos de algum jeito nossa podridão interior. Há coisas mais duradouras que o "amor".

Observação

Eu apreendi que tudo muda num segundo, que as relações são todas sazonais, que uma mendiga possui uma educação mais sofisticada que de um play boy idiota, que provavelmente você será usado enquanto for interessante e jogado fora assim que os obstáculos se apresentarem, a perceber que o tempo passa mesmo, que sua família vai morrer pouco a pouco, que o dinheiro compra quase tudo, e o que não compra é semi dispensável, já que é tão volátil e induz à baixas emocionais e/ou psicológicas, que os conselhos sensatos não são capazes de abafar um sonho prematuro, que a razão está sob a tênue linha da loucura (aparente) e da lucidez, e que os sentimentos estão apoiados num tabuleiro que se inverte a todo instante, além de declarar estar de acordo com a frase; "Uma mentira repetida mil vezes, vira verdade." (Goebbels, Ministro da propaganda Nazista)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A mulher

Avistei uma mulher roubando ração de gatos, na rua
E ela mastigou e pareceu feliz... Deus, onde você está?
Ela tinha um sorriso confortante, embora os dentes estivessem maltratados
E o rosto já apresentava sinais de uma caveira
Uma saia preta de renda antiga
Uma camisa social branca, adornada com babados
Um par de sapatilhas, outrora, talvez de valor
E um lenço vermelho amarrado ao pescoço
Seria um amor a causa da decadência?
Embora "louca", ela exauria a pose de uma aristocrata
Ela poderia dar boas aulas de educação aos play boys
Devolva-lhe os tempos de ouro
Devolva-lhe os tempos de ouro
Oh Deus, se você está aí, devolva-lhe agora
Porquê não vejo sentido em pena
... Ela parecia mais feliz que eu.


quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Amy?

Oh God, Amy deve ser a próxima a morrer
Eu sei que não sou boa coisa
mas desperto coisas indescritivelmente boas
(Yeah, humildade é pros fracos!)
E eu sei que nunca quis baixar meu ego
Talvez Amy não seja a próxima a morrer
Minhas três tias-avós, viúvas de idade avançada
Oh baby, elas dariam toda a grana que têm
pra serem novas e casarem comigo
Pena eu não gostar de garotas
Pena eu não gostar de garotas
(Elas sentem-se mal com isso)
Lamento não saber onde está a verdade
mas os passantes da vida me perguntaram
(Rapaz, como você pôde abandonar um deus?)
E eu respondi que apenas
Não busco aparência e drogas, somente.