quinta-feira, 28 de outubro de 2010

...

Alguma coisa morreu dentro de mim. Não há recuperação. Eu debati tanto a respeito dele, eu pensei tanto em tudo o que se passou, eu potencializei toda a dor, mas isso chegou num nível em que não dá mais para continuar. Eu não tenho mais argumentos para defendê-lo, esgotei as possibilidades, fico de mãos atadas uma vez que não há nenhum tipo de retorno. Indago-me como é possível uma pessoa dizer que te ama, com lágrimas nos olhos, transferir para você a tempestuosidade dessas palavras, e pouco tempo depois, esquecer tudo, abandoná-lo à própria sorte. (e a palavra sorte nunca foi presente na minha vida)Deus, eu não quero outra pessoa, mas eu cansei de sofrer,
o meu barco está naufragando e não há mais nada que eu possa fazer, e ti não aparece para socorrer-me, nem dá uma palavra de encorajamento. Já se passou um ano desde que o inferno começou, e não houve mudanças. Ao contrário, o que já existia se intensificou ainda mais da minha parte, apenas da minha maldita e cruel parte. Este é um estrago que não vou conseguir reparar. Meu coração dói, estou perdido e louco, levo uma vida que definitivamente não me agrada. O que fiz para merecer esses castigos? Sinto-me no fim da linha, a vida perdeu sua importância e a magnitude do meu suplício vai me destruir por completo. Mate-me. Mate-me. Mate-me.

Nenhum comentário:

Postar um comentário