domingo, 2 de janeiro de 2011

Passos

Passos pela rua, noite sem estrelas, desejo ardente no peito. São 3:47 da manhã e não consigo dormir, sinto que perdi algo pelas esquinas... é estranho, mas definitivamente não estou em minha antiga morada. Minha alma está atingindo uma potência extraordinária, enquanto que meu corpo está desfalecido, atirado no chão. Está um cheiro de podre no ar, receio jamais retornar à carne, mas isso já não faz diferença, uma vez que se encontra a dor no amor, num lapso de verdade contida, ou melhor, na decepção de uma mentira proferida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário